A prática da charcutaria é muito antiga e se mistura a própria evolução da sociedade humana, remonta ao século XV. No entanto, o termo é pouco conhecido no Brasil, vem ganhando espaço como uma opção fina de menus em bistrôs, restaurantes e casas especializadas. 

Existem algumas confusões sobre o que está no escopo da charcutaria, portanto desenvolvemos a seguir a definição completa do termo, as variações e nossas sugestões, afinal somos grandes apreciadores desta arte de fazer carnes. Afinal, o que é charcutaria e o que não é? Acompanhe.

O que é charcutaria?

A palavra charcutaria é de origem francesa, vem dos termos “chair” carne e “cuilt” cozido. Porém vai muito além de utilizar apenas a técnica de cozimento. No século XV devido a falta de refrigeração, existiam diferentes métodos de conservação de alimentos, utilizando sal, defumação, cozimento, etc. As técnicas eram aplicadas a diferentes tipos de carnes como porco, aves, boi ou a qualquer carne de caça. 

Portanto, charcutaria é a prática de conservação de alimentos aplicada sozinha ou em conjunto a diversos tipos de carne. De forma equivocada, muitos acreditam que uma casa de charcutaria trabalhe apenas com linguiças e carnes de porco, apesar de serem as mais comuns, o universo é bem mais extenso. Como toda área da culinária, a imaginação do cozinheiro e o conhecimento das técnicas é o diferencial para um produto excepcional. Nós aqui na Noete temos a Charcutaria Local como parceiros que oferecem os melhores preparos que já experimentamos.

Os mais conhecidos tipos são o presunto, patê, salame e linguiça defumada, encontrados em qualquer açougue. Nós da Noete, vamos trazer algumas especialidades que adoramos neste universo.

4 Tipos de Charcutaria

Existem muitos tipos diferentes de charcutaria que você pode servir para os seus convidados, como patê, jamon ibérico ou mortadela. Em vez de listar todas as opções possíveis, aqui estão quatro opções exclusivas das quais você talvez nunca ouviu falar antes, que seriam um ótimo complemento para qualquer bandeja de charcutaria:

Rillettes

Uma charcutaria francesa semelhante ao patê, mas com uma textura mais grossa. A idéia básica é que a carne seja cozida lentamente até que possa ser desfiada. Coelho, ganso e pato são tipos comuns de carne usados ​​para isso.

Como servir

Rillettes podem ser servidos frios ou em temperatura ambiente, depois espalhar sobre pão ou torradas.

Mousse

Ao falar de charcutaria, mousse refere-se a uma mistura de carne e fígado que é feita em um misturador de carne e coada de maneira tão fina que adquire uma textura cremosa.

É semelhante às rillettes por ser um prato de carne que pode ser espalhado, mas a principal diferença é que ele tem uma consistência muito mais suave e semelhante ao patê. Um dos tipos mais populares de mousse é o fígado de galinha, que geralmente é preparado com especiarias, creme e até um pouco de vinho para obter um sabor rico e uma textura sedosa.

Como servir

Embora a mousse deva ser cozida antes de ser consumida, geralmente é servida fria e tem um sabor ótimo com torradas ou até mesmo pedaços de frutas.

Salame

O salame é carne moída misturada com especiarias (e geralmente vinho), envolvida em tripas de salsicha e depois seca. Existem muitos estilos diferentes de salame, alguns dos mais comuns são a soppresatta da Itália, o chouriço da Espanha e o saucisson sec da França.

Como servir

O método de servir depende em grande parte do tipo de salame. O salame de Gênova é bom para ser cortado em fatias finas em um cortador de carne e colocar em um sanduíche. O chouriço é comumente usado como um ingrediente que adiciona um sabor robusto aos pratos cozidos e pode ser encontrado em qualquer coisa, desde café da manhã a entradas de peixe e acompanhamentos de batatas. Soppresatta é geralmente fatiada um pouco mais grossa e servida como aperitivo com queijo e frutas.

Presunto

O presunto é geralmente um corte gordo de carne que é curado em sal e pendurado para secar por vários meses. O presunto é geralmente feito de carne de porco, mas cordeiro, pato ou outras carnes curadas que passam pelo mesmo processo também podem ser considerados um tipo de presunto.

Como servir

Devido à sua textura densa, o presunto é tipicamente fatiado muito fino em um cortador de carne especializado e pode ser servido de várias maneiras. Você pode servi-lo enrolado em frutas ou cobrindo outras carnes e cozido com uma casca crocante. É um delicioso recheio de pizza; pode ser picado e adicionado aos pratos de quiche ou macarrão, ou pode ser consumido sozinho.

Agora que você já sabe mais a respeito da charcutaria e seus principais pratos, venha até a Noete saborear nossos cortes exclusivos, servidos de forma especial, harmonizados com queijos e pães seguidos de um café mais que especial.

Deixar um comentário